9 Estratégias para o ROI do Email Marketing


Entra ano e saí ano e o email marketing continua sendo uma excelente fonte de receita para o marketing digital,  muito se deve porque seu investimento é baixo se comparado a outros modelos de anuncios pagos.

Empresas que possuem uma boa lista de email e conseguem trabalhar essa base com assertividade,  reconhecem a eficácia deste canal como um eficiente gerador de receita aos seus negócios. Particularmente, sou fã de email marketing ❣

É importante frisar que o envio frenético de emails sem nenhum critério é perda de tempo e dinheiro. O adequado é traçar um plano de marketing com objetivos e estratégias para garantir o volume de receita desejado pelo canal.

Acompanhe 9 estratégias (iniciais) que devem fazer parte deste planejamento:

A importâcia do planejamento de email marketing para o ROI no marketing digital

  1.  Escolha a ferramenta certa. Uma plataforma que atenda ao seu orçamento e que ofereça os recursos necessários para a efetividade dos resultados.
  2. Construa uma lista de assinantes (de preferência opt-in) saudável. Leva tempo, mas é um trabalho primordial para o sucesso da sua base. Ps.: Nunca compre listas de emails, não se iluda com números que não geram resultados e podem comprometer a sua reputação.
  3. Aproveite os dados da sua lista e crie segmentações com informações de abertura, cliques, compras, ticket médio, gênero, etc. Use os dados exclusivos do seu negócio e seja criativo ao segmentar, pois o melhor resultado do ROI inicia-se nesta etapa.
  4. Utilize o email personalizado, ele  pode aumentar a taxa de abertura, de clique e conversão. Exemplos simples:  nome do cliente no assunto, email de aniversário, de boas vindas, sentimos a sua falta… Muitos ainda não fazem, recebo poucos.
  5. Acompanhe atentamente as métricas de acordo com seus objetivos: abertura, clique, conversão, receita, hard bounce, descadastros, inativos, inválidos, etc.
  6. Teste diferentes envios para a base buscando o disparo que traga a otimização dos resultados. Exemplos de teste A/B:  dia da semana, horário,  botões de ação (calls to action), design, tipo de ofertas, entre outros.
  7. Observe o engajamento do seu público/persona em diferentes tipos de envios: promoções, lançamentos, conteúdo, serviços, etc. Como seu público reage a cada modelo?
  8. Crie um template baseado nas boas práticas de HTML:  use tabelas, busque o equilíbrio entre textos e imagens, confira o peso e uso de tags não recomendadas, etc. Fique atento, pois um template fora dos padrões pode prejudicar a entrega de seus emails.
  9. Faça os testes antes do disparo final, verifique como seu layout está sendo entregue entre os principais provedores e ajuste o que for necessário.

Lembre-se: o email marketing sempre está acima dos demais canais quando o assunto é ROI ele não pode ficar fora da sua estratégia de marketing digital. Explore!

Renata Reis  🙂

Anúncios

4 PILARES DA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL


A inteligência emocional é uma das habilidades mais esperadas dos profissionais de hoje e do futuro!

Pensa comigo: na hora de uma promoção ou de uma contratação, vale mais se você tirou 10 ou 7 naquela prova de estatística ou a sua capacidade de lidar com conflitos, de gerenciar suas emoções ou de ser resiliente em situações adversas?

Segundo Daniel Goleman a inteligência emocional passar por quatro etapas importantes:

A Inteligência Emocional influencia sua carreira

A Inteligência Emocional influencia sua carreira profissional

  1. Autoconsciência: reconhecer o que sentimos. Autoconhecimento é a base para inteligência emocional.
  2. Autogestão: controlar as emoções. Depois que você consegue identificar seus sentimentos, você pode controlá-los.
  3. Empatia: compreender a outra pessoa. A capacidade de se colocar realmente no lugar do outro é fundamental para a inteligência emocional.
  4. Habilidade social: capacidade de se conectar com o próximo e com a sociedade. Não é apenas sobre controlar as suas emoções mas também das pessoas e do ambiente que você se encontra.

Faça um reflexão e veja em qual desses pontos você precisa se dedicar mais para trabalhar essa competência essencial para a sua carreira!

Fonte: Mariana Torres – Especialista em carreira – FGV